Número total de visualizações de página

sexta-feira, 6 de março de 2009

Introdução aos Tempos Modernos - Retrospectiva Histórica


Introdução


Antes de adentrar puramente nos pensamentos e teorias dos autores estudados nesse semestre gostaria de fazer com vcs uma retrospectiva histórica o que muito nos ajudará na compreensão das teorias desses nossos primeiros autores.

Em breves linhas podemos dizer que o Antigo Regime se expressou politicamente no absolutismo e economicamente no mercantilismo. As origens do absolutismo se encontram no final da idade média quando a aliança realeza-burguesia levou à formação do Estado moderno, baseado no centralismo monárquico. Em Portugal o Estado moderno se consolidou com a revolução de Avis, na Espanha com a Guerra de Reconquista, na França com a Guerra dos Cem anos (1337-1453) e na Inglaterra com a Guerra das duas Rosas. Jean Bodin, Tomas Hobbes, Hugo Grtius e o cardeal Jacques Bossuet foram os principais teóricos que formularam doutrinas justificadoras do absolutismo.

Alunos, é importante que vcs se lembrem de algumas características da idade média: O feudalismo foi o sistema econômico, social, político e cultural existente na Europa durante a Idade Média. Na Alta Idade Média (período do apogeu do feudalismo), embora a autoridade política estivesse de direito centrada nos reis e imperadores, era exercida de fato pelos grandes senhores feudais. Na prática, o poder político era descentralizado, e a soberania dos monarcas limitada pelos privilégios dos nobres, que em seus domínios tinham autonomia e poderes absolutos. A autoridade do rei se limitava às terras de domínio efetivo da Coroa, cuja a extensão era, por vezes, menor que a dos grandes feudos do reino. Na baixa Idade Média (declínio do feudalismo) ocorreu o renascimento do comércio, o ressurgimento das cidades e a formação da burguesia nos países do Ocidente Europeu. As cidades, no entanto, eram controladas pelos feudos; os burgueses, dominados pelos nobres; e o comércio a longa distância prejudicado pelo acanhamento dos mercados locais. O particularismo dos senhores feudais e os privilégios da nobreza tornavam-se um entrave para o crescimento das cidades, à expansão dos negócios e ao crescimento do comércio. Só a força e a autoridade de uma monarquia centralizada poderiam, suprimindo a independência dos feudos e submetendo a nobreza, promover a unificação territorial do país, impor a obediência à sua população e dar proteção a burguesia. Respaldada por um exército permanente e uma administração centralizada, a realeza poderia decretar impostos regulares, cunhar uma moeda padrão, editar uma legislação uniforme e agilizar o funcionamento da justiça, incrementando a prosperidade do comércio mediante a criação de um mercado nacional.
Essa situação levou, ao final da Idade Média, à formação de uma aliança entre burguesia e a realeza, que, em diversos países da Europa ocidental, substituiu a descentralização feudal pelo centralismo monárquico. Caracterizado por um só poder, um só exército e uma só administração, nascia na Europa o Estado Moderno, cuja autoridade soberana abarcava todo o território e era obedecida por todos os seus habitantes.

É bom alertar aos senhores que esse período foi de intensa conturbação social, instabilidade do poder e guerras. Dê uma olhada atenta ao roteiro abaixo, ele poderá ajudá-los bastante:

Roteiro de Introdução aos Tempo Modernos


* ALTA IDADE MÉDIA (V-X)
1) Origens do Feudalismo
a) Crise do Império Romano
b) Invasões Germânicas

2) Novas Invasões
a) Muçulmanos e normandos
b) Eslavos e magiares

3) Sistema Feudal
a) Economia de subsistência
b) Trabalho servil
c) Descentralização política

*BAIXA IDADE MÉDIA (XI-XV)
4) Renascimento Comercial
a) Comércio a longa distância
b) Feiras e mercados
c) C) instrumentos de crédito

5) Renascimento Urbano
a) Burgos medievais
b) Surgimento da burguesia

6) Monarquia Nacionais
a) Aliança realeza-burguesia
b) Advento das armas de fogo
c) Centralização político-administrativa

7) Crise do Século XIV
a) Grande fome (1315-1317)
b) Peste negra (1347-1350)
c) Guerra dos Cem anos (1337-1453)

Relembrado esses detalhes Históricos estamos agora preparados para entender a teoria sobre o Estado dos autores que viveram nessa época de grande instabilidade na Europa Ocidental.
Vão deixando os comentários das postagens e as dúvídas se acaso quiserem mais detalhamento!
Abraços!
Edson Lariucci

Sem comentários:

Enviar um comentário